Company Logo


Segunda, 16 Março 2015 18:34

Impasse no TCM provoca fechamento de centenas de postos de trabalho e coloca a população em risco

Avalie este item
(0 votos)
Enquanto empresa terceirizada deixa a Prefeitura de SP na mão, Coopermund tem carros parados por conta do impasse Enquanto empresa terceirizada deixa a Prefeitura de SP na mão, Coopermund tem carros parados por conta do impasse

Enquanto o Tribunal de Contas do Município (TCM) não se posiciona sobre o decreto arbitrário que impede as cooperativas de transporte específico de participar das licitações da administração municipal, centenas de pais e mães de famílias estão perdendo seus postos de trabalho injustamente.

Um exemplo claro dessa situação absurda ocorre na Coopermund, que está prestes a fechar as portas. Fundada em 2002, a cooperativa já chegou a contar com cerca de 350 cooperados, prestando um trabalho de qualidade comprovada nas esferas municipal, estadual e federal.

Hoje, a Coopermund tem apenas 20 cooperados e seus dois últimos contratos vencem agora, em março e abril. “Se a situação não se reverter, não haverá outro jeito: iremos solicitar a liquidação da cooperativa”, lamenta a diretora-presidente Veranice de Lima Silva.

Ela conta que, desde a publicação do decreto 52.091/11, que impede as cooperativas de transporte específico de prestar serviços para os órgãos da administração municipal, iniciou uma batalha a favor do Cooperativismo, com o apoio do Movimento Força Cooperativista.

Segundo ela, todos foram incansáveis na luta para derrubar o decreto, mostrando a importância e o caráter social das cooperativas. “Participamos de várias audiências públicas, reuniões, encontro no gabinete do Prefeito Fernando Haddad, etc. Sempre ouvíamos a promessa de que tudo seria resolvido, mas infelizmente, nada aconteceu e fomos perdendo contratos e fechando postos de trabalho...”, conta Veranice.

Esse jogo de empurra entre a Prefeitura Municipal de São Paulo e o Tribunal de Contas do Município vem se arrastando há meses. Enquanto isso, além do fechamento de postos de trabalho, a Prefeitura vive situações, no mínimo, bizarras e que coloca em risco toda a população da cidade.

De acordo com denúncia do jornal Freguesia News, um dos motivos do avanço alarmante de casos de dengue em São Paulo é a falta de veículos para transportar os agentes de saúde. A empresa que venceu a licitação naquela região, em novembro de 2014, não possui os veículos para atender a demanda. “Enquanto isso, estamos com nossos veículos parados e os profissionais sem trabalho. É um absurdo!”, ressalta Veranice.

Diante dessa situação, a pergunta é: até quando o TCM será contrário à participação de cooperativistas de transporte específico nas licitações públicas municipais?

Ler 2001 vezes Última modificação em Segunda, 16 Março 2015 18:44

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.




Movimento Força Cooperativista 2012 (C) Todos os direitos Reservados.